ARTIGOS MAIS RECENTES

Trilha para o Pico do Pão de Açúcar no fiorde do Saco do Mamanguá em Paraty-RJ

Hoje vamos mostrar como foi a trilha para o Pico do Pão de Açúcar no fiorde do Saco do Mamanguá em Paraty-RJ que fizemos com a empresa Ecovaletur.

Primeiramente vamos explicar que o Saco do Mamanguá é um Fiorde Tropical, o único fiorde no Brasil.

Fiorde (do norueguês fjord) é uma grande entrada de mar entre altas montanhas rochosas, geralmente originada por erosão causada pelo gelo de um antigo glaciar. É mais comum em países escandinavos.

O Pico do Pão de Açúcar faz parte da Reserva Estadual da Juatinga, cenário de outras trilhas e roteiros de travessia (trilhas de mais de um dia, com camping).

Esse passeio foi uma das descobertas mais interessantes pois mostra o quão impressionante é a natureza em lugares próximos de onde moramos, que muitas vezes nem ouvimos falar.

Assim que chegamos em Paraty termina o trecho com  a van e pegamos um barco rumo à Praia do Cruzeiro, ponto de partida da trilha.

O passeio de barco é um espetáculo a parte, as cores vibrantes do mar já nos deixam hipnotizados, mesmo antes de começarmos a trilha.

A trilha tem aproximadamente 1,5 km, é bem inclinada e passa por trechos de mata fechada. Embora curta, proporciona um bom desafio, por sua inclinação.

Também é uma trilha que possui características da mata atlântica, é úmida e com muita vegetação.

O solo é constantemente úmido e em alguns pontos fica mais escorregadio, então é necessário um bom calçado adequado para trilha.

Conhecemos pessoas que fizeram esse roteiro mais de uma vez e nós recomendamos que façam isso, pois dependendo do tempo você pode aproveitar melhor a trilha ou a Praia do Cruzeiro.

É um passeio de curta duração, então por que ficar em casa vendo TV quando se tem a oportunidade de ter uma aventura como essa?

Antes de chegar ao topo tem um trecho com pedras, mas bem fácil de escalar, é uma pequena escalaminhada. Eu, gostei bastante desse trecho.

A vista lá do topo é incrível, entre o mar e a montanha, a sensação do dever cumprido tem um toque especial nesse lugar, eu nunca tinha visto uma paisagem como essa, de um fiorde. Será que o próximo fiorde será na Noruega? 😉

Não se esqueçam de levar roupa de banho, pois após a trilha, enquanto aguarda o almoço, dá para aproveitar uma praia digna de filme de Hollywood! rs (é verdade, o filme Crepúsculo foi filmado em uma das praias dessa região, a cena da lua de mel no Brasil).

No mesmo quiosque que foi servido o almoço (incluso no roteiro), também é possível comprar açai, sorvete e bebidas à parte.

O preço do roteiro é justo se levarmos em consideração tudo que proporciona: transporte de van SJC-Paraty, barco até a vila no fiorde, a trilha com guia especializado, almoço caiçara e praia paradisíaca.

Essa foi a nossa primeira experiência em uma atividade outdoor que reúne praia e trilha na montanha ao mesmo tempo. Foi porta de entrada para trilhas em ambiente de praia, posteriormente fizemos outras atividades dessa categoria em nossa viagem ao Hawaii.

Em apenas um dia  descobrimos tantas coisas, houve passeio de barco, trilha com uma bela paisagem, banho de mar e um almoço típico da região.

E agora, na temporada de trilhas do verão em nossa região, estamos buscando novos roteiros que além de trilhas tenham praia ou cachoeira. A Ecovaletur tem várias opções na agenda no site.

Recomendamos fugir do circuito turístico e conhecer Paraty mais a fundo, fazendo trilhas e aventuras em lugares tão encantadores como esse.


Ecovaletur


Salve esse post no Pinterest:

O glamouroso chá da tarde no hotel Alvear em Buenos Aires (Argentina)

Hoje vou mostrar como é o Chá da Tarde (Afternoon Tea) do restaurante L´Orangerie do famoso Hotel Alvear de Buenos Aires (Argentina).

Quem acompanha o blog sabe que gostamos de experiências gastronômicas em nossas viagens. Desde aulas de culinária à degustação de pratos locais.

Em minha terceira vez em Buenos Aires, fiz uma viagem diferente, fui com a minha mãe de 73 anos e optamos por um roteiro mais tranquilo e com bons restaurantes.

Nós sempre ouvimos falar do famoso ritual do chá da tarde inglês, mas nunca havíamos vivenciado um.

Quando fui em Londres acabei passando essa, a cotação da libra não estava legal para gastar com algo assim. Mas em Buenos Aires o nosso dinheiro ainda vale mais, então dá para fazer algumas extravagâncias.

O Hotel Avelar é o mais caro e mais luxuoso da cidade. Embora o valor da diária ainda seja um pouco surreal, o preço do chá da tarde é acessível: De segunda à sexta 1090 pesos (aproximadamente 73 reais) e Sábado/Domingo 1200 pesos (aproximadamente 81 reais). *Valores na cotação de 24/10/19 sujeitos a reajuste devido a inflação da Argentina

A reserva foi feita via email, escolhemos o dia e horário de acordo com o nosso roteiro, fechei tudo com 2 semanas de antecedência (é só a reserva, o pagamento é feito no dia). Em alta temporada sugiro fechar com mais antecedência.

No dia que fomos todos que entraram eram reservas, havia fila de espera para quem chegou na hora sem reserva.

Mas o que tem de bom nesse chá? Acho que o mais importante é a experiência de sentir a Rainha da Inglaterra ou uma Princesa da Disney por algumas horas.

O ambiente é muito glamouroso, coisa que a gente não vê com frequência, parece cenário de filme antigo da aristocracia inglesa.

Tem um musico tocando piano o tempo todo, tem garçons muito educados com uniformes muito formais. As louças e o talheres são obras de arte.

A estrela do dia é o chá, a carta de chás é bem variada, todos parecem muito bons, difícil escolher. Se não gostar de chá, tem café e chocolate, mas não há nada de especial neles.

Os chás que escolhemos foram:

  • SOPHIE (Laranja, tangerina, rosa mosqueta, flor de papaia e maçã)
  • RED MIX (Descafeinado chá com frutas vermelhas e frutas tropicais exóticas do Oriente, tais como framboesas, groselhas, morangos, fruta do dragão, amoras, bagas de goji e um toque de pimenta)
  • Veja o cardápio com todas as opções

O que está incluso no cardápio do chá da tarde:

  • Seleção dos chás o café o chocolate
  • Scones mornos acompanhados de marmeladas naturais do El Bolsón (Patagônia), creme de limão
  • Seleção de finger sandwiches
  • Seleção de chips
  • Variedade de pâtisserie e tarteletas de frutas
  • Seleção de petits gâteaux de nosso carrinho Pâtissier
  • Taça de espumante *Fonte: Site do Restaurante

Primeiro vem as geleias e uns pãezinhos bem macios (scones). Depois vem os docinhos variados, tinham alguns muito gostosos e outros nem tanto. A aparecia era nota 10, mas o sabor variava.

Também haviam mini sanduíches salgados. Dentre as opções havia um com uma fatia de salmão defumado muito bom e outro que era um pedaço de pão de forma com patê (nada de especial).

Para encerrar essa experiência vinha um carrinho com sobremesas (em tamanho maior, do tamanho de uma fatia de torta) e você escolhia uma delas para encerrar a comilança.

E para acompanhar o garçom servia uma taça de espumante francês de boa qualidade. Minha mãe já ia falando que não queria (por conta dos remédios da pressão que ela toma) e eu logo interrompi e pedi para servir, afinal não é todo dia que temos a oportunidade de tomar 2 taças de um bom espumante! rs

No geral acho que o chá da tarde vale pela experiência, minha mãe curtiu muito e fico muito feliz em poder levá-la num lugar como esse. Os doces não são os melhores do mundo, não vá só isso pois pode se decepcionar.

É uma coisa para fazer uma vez (não repetiria) e em boa companhia, uma tarde agradável de puro glamour.


Alvear Afternoon Tea – Restaurante L´Orangerie

  • Endereço: Avda. Alvear 1891 (C1129AAA) Buenos Aires, Argentina
  • Telefone: + 54 11 4808.2100
  • Reservas: Por email reservas@alvear.com.ar
  • Preço: De segunda à sexta 1090 pesos (aproximadamente 73 reais) e Sábado/Domingo 1200 pesos (aproximadamente 81 reais). *Valores na cotação de 24/10/19 sujeitos a reajuste devido a inflação da Argentina


Salve esse post no Pinterest:

A emoção de saltar de paraquedas em North Shore (Oahu, Hawaii)

Há um tempo atrás eu escrevi um post chamado “30 coisas para fazer antes dos 30” e um dos itens, naquela longa lista, meio com cara de impossível, era “saltar de paraquedas”.

Aquela Juliana que escreveu aquela lista era outra pessoa, colocou esse item para dar um pitada de emoção, ela ainda não estava pronta para isso e tantas coisas que vieram depois.

E o tempo passou, completei meus 30 anos e aquela pendência ficou guardada num cantinho, parecia algo que eu deixaria para trás, mesmo depois que realmente passei a gostar de me aventurar por ai.

O plano sempre foi, se um dia isso realmente acontecesse, saltar de paraquedas em Boituva-SP, já tinha pesquisado as empresas, os preços, grupos que saiam da minha cidade de ônibus para isso, tinha tudo planejado e nunca colocava em prática. Sempre “deixava para a próxima vez”.

Até que no inicio desse ano conseguimos juntar uma quantidade considerável de milhas que dava um leque de opções para a viagem desse ano. Poderíamos ir para Madri, Miami, Toronto, Costa Rica, Joanesburgo (novamente) e Hawaii…

Quando teríamos a oportunidade ir para o HAWAII usando apenas milhas? Nunca vi nenhuma promoção de passagem para lá! Então não tivemos dúvidas que essa era a hora de realizar o sonho de conhecer esse paraíso.

E pesquisando sobre coisas interessantes para fazer no Hawaii me deparei com a possibilidade de saltar de paraquedas em Oahu (a ilha principal), na região do North Shore.

Vi um vídeo e meu coração bateu mais forte, não poderia deixar escapar essa chance. Saltar de paraquedas em um dos lugares mais lindos do mundo! Era mais do que apenas o salto, havia todo um contexto.

Skydive Hawaii

Pesquisei as empresas, li todas as reviews do Tripadvisor e fiquei na dúvida. Uma era um pouco mais barata e menos conhecida que a outra.

Quando me deparei com uma noticia sobre um acidente que houve vítimas (em Julho de 2019 no Hawaii) num salto de paraquedas de uma empresa barata e menos conhecida fiquei preocupada e decidi investir na mais tradicional (e um pouco mais cara): Skydive Hawaii.

Com o dólar passando dos 4 reais não era um sonho barato, mas me planejei e trabalhei muito para poder realiza-lo. O salto apenas é um valor, foto e vídeo custam valores separados, igualmente caros. Mas não tem como não registrar uma experiência como essa né?

Fiz a pré reserva pelo site, pagando 50 dólares antecipado para ter desconto no salto.

Reservei e ignorei o fato até o dia que ele aconteceria, não queria ficar ainda mais ansiosa, com medo e possibilidade de desistir.

O Leo sempre foi contra porque achava algo extremamente perigoso e não tinha coragem de ir junto, mas respeitou a minha decisão. Ele optou por outra atividade radical, mas se você não viu o que houve nos nossos stories do instagram (ainda tem lá nos destaques), isso será assunto para outro dia.

No dia do salto cheguei cedo, assisti a todos os vídeos de segurança, preenchi uns 17 termos de responsabilidade (sério!) se algo desse errado tinha concordado e me responsabilizado com várias coisas que nem quis ler, melhor nem saber! rs

Os instrutores foram chamando o nome das pessoas que iam saltar para se apresentar e colocar os equipamentos. E quando chegou a minha vez, claro que foi o cara mais louco do rolê, o que eu tinha olhado e pensado “tomara que não seja ele” kkkkkkk

Colocamos os equipamentos e o meu instrutor deixou bem frouxo no ombro, fiquei preocupada e ele disse que era porque tinha belos ombros largos, que estava tudo certo…. Oh god.

Perguntei também o que deveria fazer quando fôssemos aterrissar e ele disse que não era hora para essa conversa, se o paraquedas funcionasse, ele daria as instruções lá em cima! rs

Em Boituva vi que todos os lugares dão um macacão para você usar, lá o negocio é roots, é com a roupa que você estiver usando. Optei por blusa UV de manga longa, calça de academia e bota de trilha e foram escolhas bem acertadas.

Subimos por ultimo no avião, o que significa que seriamos os primeiros a saltar, não havia espaço para  medo e ansiedade.

O avião voava de porta aberta, não tinha ideia que isso era possível. Quando nos aproximamos do local do salto, ai sim, meu instrutor apertou o equipamento corretamente e ficou firme, ufaaaa! Fato é que me enganei a respeito dele, apesar de parecer muito louco, ele fez tudo direitinho! rs

Nesse momento eu apenas olhava aquela vista maravilhosa, de um dos lugares mais lindos do mundo e pensava “Se eu morrer aqui, tudo valeu a pena. É um dos lugares mais lindos que já vi na minha vida”.

E esse pensamento me deu paz e com isso não houve mais espaço para medo e preocupação, estava vivendo o momento como se estivesse vendo um filme.

O salto foi muito rápido, apenas nos levantamos e se jogamos. E nesse momento o tempo parou. Para controlar a respiração o instrutor havia me dito que era bom gritar, e eu gritei muito.

Exorcizei nesses gritos todos os medos e inseguranças que estavam comigo durante todos esses anos. Disse para o Leo que não iria no mergulho com ele porque não sei nadar, mas que naquele dia eu aprenderia a voar… E eu voei…

Vendo as fotos o Leo se admirou que em todos os momentos eu sorri, não tem nenhuma careta, nenhum medo no meu rosto, eu realmente transparecia a emoção de estar aproveitando aquele momento.

E depois que o paraquedas foi acionado começou o “voo modo cruzeiro”, apenas flutuando por aquele mar, aquela praia e aquelas montanhas. Foram poucos minutos que para mim duraram o suficiente para me lembrar por toda a vida.

Controlei um pouco a direção do paraquedas e depois pedi para o instrutor voltar ao comando, disse que queria ser passageira daquele voo e aproveitar aquela paisagem. Para dar emoção ele fez várias manobras virando a gente por todo lado, dando um friozinho na barriga.

Durante todo o voo, só pensei em uma música que poderia ser trilha sonora daquilo tudo: Born to be Wild (Steppenwolf) e no vídeo que editei para os stories do instagram ela caiu como uma luva (esta tudo lá nos destaques, ainda dá tempo de ver e tirar as suas próprias conclusões).

E quando chegamos ao solo, a aterrissagem foi suave e rápida. Me senti forte e vitoriosa, conheço pouquíssimas pessoas que já tiveram coragem de fazer isso e nenhuma foi no lugar mais lindo de toda a galáxia. rs

Deu aquele sentimento de confiança e que nada mais na vida poderia me limitar daqui em diante, difícil de explicar em palavras, mas sinto até hoje.

Gravei stories com olhos cheios de lágrimas no calor do momento, que só meus poucos seguidores mais fiéis devem ter visto. (deixei salvo nos destaques para quem ficou curioso)

Todo mundo deveria, pelo menos uma vez na vida, saltar de paraquedas e sentir todas essas emoções. Parece que eu nasci para viver aquele momento e que a minha vida não seria completa sem essa experiência.

Sai dali pronta para dominar o mundo, mas, a vida é cheia de mistérios e uma coisa muito louca e sinistra aconteceu com o Leo, menos de uma hora depois e que mudou algumas coisas no trajeto do restante da viagem.

E esse foi o dia que eu aprendi a voar. Não posso deixar de recomendar essa experiência e a empresa Skydive Hawaii (que não me deu nenhum dólar de desconto por isso! Sério rs).

E digo, se você esta em dúvida, como eu estive por muitos anos, não pense em nada, só vai! (E depois me conta aqui como foi!)


Salve esse post no Pinterest:

Lyft o aplicativo de transporte que é alternativa econômica para o Uber nos Estados Unidos

Em tempos de dólar nas alturas qualquer possibilidade de economia em uma viagem para os Estados Unidos é muito bem vinda.

Nossa viagem esse ano foi para o Hawaii, mas antes de chegar nas ilhas paradisíacas, fizemos uma conexão de 8 horas em Los Angeles.

Alugar carro até era uma opção, mas não queríamos nos estressar com o transito para um passeio em tão pouco tempo. Com isso pesquisamos o preço do trajeto do Aeroporto LAX para Santa Monica nos aplicativos de transporte.

As opções eram o nosso conhecido Uber e o aplicativo Lyft.

O Lyft é muito conhecido e utilizado nos EUA, a maioria dos motorista ou faz só o Lyft ou faz Lyft e Uber. Os locais costumam ter preferência pelo Lyft.

A diferença de preço para o trajeto de Santa Monica era  aproximadamente 10 dólares mais cara com o Uber! O preço do Lyft normalmente já é mais barato e por serem as primeiras corridas teve um cupom de desconto do app.

E se for a sua primeira corrida, use o meu código: JULIANA96380, para ter mais desconto, você ganha e eu ganho ;D

A interface do aplicativo é exatamente igual ao do Uber e o meu aplicativo esteve o tempo todo em português.

A forma de pagamento que utilizei foi paypal, mas também é possível cadastrar o cartão de crédito diretamente.

Para se comunicar com o motorista é possível ligar e mandar mensagem, mas ao que parece a mensagem vai por SMS e não no próprio app. Se você não estiver com um chip internacional (Easysim4u que era o nosso caso) ou um chip local isso pode ser um problema.

No Aeroporto de Los Angeles LAX tem um local para embarque e desembarque dos carros de aplicativo, é possível utilizar sem nenhum problema.

A disponibilidade do app foi muito rápida e não tivemos problema com nenhum motorista.

No Hawaii não utilizamos porque alugamos carro na viagem toda, as distancias entre os pontos turísticos eram longas, o custo beneficio foi melhor com o carro alugado do que ficar com os aplicativos.

Recomendo o uso do Lyft pela qualidade e pelo preço, voltarei a utilizar quando for aos Estados Unidos.


Salve esse post no Pinterest:

Conheça a Carlo’s Bakery do Boulevard de Santa Monica (Los Angeles, EUA)

Para quem assiste os programas do Cake Boss na TLC e no Discovery Home&Health é uma experiência única poder experimentar os doces que você tanto vê na TV e quer saber se são realmente bons.

Em 2014 durante a minha primeira viagem à Nova York tive a oportunidade de conhecer a loja “Cake Boss Cafe”, que fica próxima à Times Square e foi o meu primeiro contato com os doces do Buddy Valastro.

Em 2017 as delicias do Cake Boss chegaram em São Paulo, aqui no blog também tem tudo sobre a filial brasileira, que fica próximo à Avenida Paulista.

E para minha surpresa, encontrei por acaso, mais uma Carlos Bakery  no Boulevard de Santa Monica em Los Angeles, uma que nem sabia da existência. Não vi nada sobre ela nas dicas sobre Los Angeles que pesquisei.

A loja segue o mesmo padrão das outras que visitei, achei mais parecida com a de São Paulo, com mais variedade de guloseimas e uma cozinha no fundo onde é possível ver a preparação dos bolos.

Na loja além dos doces é possível comprar souvenirs relacionados à Carlos Bakery e ao programa de TV do Cake Boss: camisas, aventais, squeezes, bolsas, canecas, bonés, etc.

Há diversas opções de cupcakes, donuts, brownies, bombas de chocolate, biscoitos decorados, e os famosos cannolis e  Lobster Tail.

O Leo escolheu um cupcake de chocolate, eu não curto muito os cupcakes dele porque só tem a cobertura, geralmente não tem recheio dentro do bolinho, como já comentei no post de Nova York.

Eu fui numa escolha segura o cannoli de creme branco, o maior clássico da loja, que já havia curtido quando experimentei em São Paulo. É gostoso mas não é muito doce, sabor na medida, não é enjoativo.

Dentro da Loja não há espaço com mesas, é necessário procurar uma lá fora, as que compõe a estrutura do Boulevard de Santa Monica. (tem várias mesas coloridas quase em frente a loja).

E essa é a minha dica gastronômica para os que curtem o programa de TV do Cake Boss e vão dar um rolê no Boulevard de Santa Monica em Los Angeles.

Carlo’s Bakery – Los Angeles

  • Endereço: 1354 3rd Street Promenade, Santa Monica, CA 90401, Estados Unidos
  • Funcionamento: De domingo à quinta das 9h00 as 21h00 / Sexta e Sábado dos 9h00 as 22h00
  • Site: https://www.carlosbakery.com

Salve esse post no Pinterest:

Como usar o Amazon Locker para receber compras nos Estados Unidos

Foto Amazon Locker por amazon.com

Viajar para os Estados Unidos é uma grande oportunidade para compras, mesmo com o dólar passando dos 4 reais, ainda assim, há possibilidade de comprar coisas mais baratas lá.

E o melhor lugar para comprar com preços mais atrativos é no site da Amazon, lá também dá para encontrar coisas bem especificas que muitas vezes nem tem nas lojas.

Mas muita gente se depara com o problema: onde entregar essas compras?

Há hotéis que aceitam de boa, outros cobram uma taxa por pacote e outros não recebem de jeito nenhum, é bom contatar o hotel antes mesmo de fazer a reserva da sua hospedagem para saber a política sobre entregas.

E quando você quer economizar na viagem e fica em Airbnb o negocio fica ainda mais difícil. Quando é um lugar que não mora ninguém, não há como entregar e você não vai perder um dia inteiro esperando o pacote lá na hospedagem.

Quando você pega um quarto num lugar onde tem gente morando a maioria das vezes a pessoa não quer se comprometer em receber nenhuma entrega.

É ai que entra a opção do Amazon Locker, um armário da Amazon, no meio das grandes cidades, onde você pode pegar a sua encomenda sem estresse nenhum.

Como usar o Amazon Locker

O primeiro passo para usar essa grande comodidade é entrar no site da Amazon e procurar o Locker mais próximo na cidade que você vai visitar.

A premissa é bem simples: faça as compras, escolha um amazon locker para a entrega e retire com o seu código.

Mas atenção, nem todos lugares nos Estados Unidos tem Locker. Nós viajamos para o Hawaii e ainda não existe nenhum Locker em nenhuma das ilhas.

Nossa sorte foi uma conexão de 8 horas em Los Angeles antes de chegar no Hawaii.

Em Los Angeles tem muitas opções de Locker, basta escolher o mais perto e conveniente. Vale lembrar que esses lockers geralmente ficam em lojas por isso você só terá acesso à eles no horário comercial.

Cidades como Nova York e Miami, queridinhas dos brasileiros, também estão cheias de opções de amazon lockers.

Escolhemos um Locker próximo ao Boulevard de Santa Monica, local onde passaríamos o tempo antes do voo para Honolulu.

Na hora da compra no site você escolhe o Locker e cadastra no seus endereços de entrega, é bem simples.

Chegamos em Santa Monica por volta das 7h30 da manhã. Passeamos pelo píer, praia e o boulevard. As 10h fomos para o locker que ficava dentro de uma loja que abria nesse horário.

Cada Amazon Locker tem um nome, o nosso era o Altair (Santa Monica, Los Angeles).

O procedimento foi pegar o código que o Amazon forneceu por email após a compra e digitar no totem do locker.

Assim que o Leo digitou já apareceu os dois pedidos que fizemos no site. Ao clicar neles abriu a porta de dois lockers onde estavam os pacotes, é muito pratico e eficiente!

Ainda na loja abrimos os pacotes para conferir se estava tudo ok.

Atenção, as compras ficam por no máximo 3 dias no Locker para que você retire. Após esse prazo elas retornam para o Amazon e a compra é estornada.

Nos calculamos de fazer a compra alguns dias antes da viagem, utilizamos a entrega “prime” que chega em no máximo 2 dias e retiramos no segundo dia que os pacotes estavam no locker.

Calculando tudo direitinho não tem erro. E se rolar um imprevisto o amazon faz a devolução e o estorno, então não há com o que se preocupar.

Espero que esse post te ajude a entender e utilizar os serviços do Amazon Locker, tive muitas dúvidas quando fui usar pela primeira vez por isso achei interessante escrever esse post.

Caso reste alguma dúvida escreva nos comentários desse post.


Salve esse post no Pinterest:

Old Beijing Dinner Tour: experiência com o melhor da gastronomia chinesa!

Continuando os relatos da nossa aventura pela China, hoje vamos contar sobre a experiência gastronômica no “Old Beijing Dinner Tour“.

Já mostramos as comidas estranhas e estereotipadas para turista ver que vendem na Wangfujing Road (escorpião, aranha, etc), mas qual é a real culinária chinesa?

O prato mais conhecido de Pequim é o “Pato de Pequim”, um delicioso pato laqueado servido em restaurantes mais sofisticados.

Mas e as comidas do dia-a-dia? O que os locais comem? O que se deve experimentar quando visitar Pequim?


UnTour Food Tours

Em busca dessas respostas encontramos a empresa UnTour Food Tours. Eles oferecem tours gastronômicos em Pequim, Shanghai, Hangzhou, Chengdu e Hong Kong.

Dentre as opções de tour, a que se encaixava melhor no nosso roteiro e tinha o itinerário mais interessante era o “Old Beijing Dinner Tour”, feito no horário do jantar.

O tour custa U$ 75 por pessoa e tem todas as refeições e bebidas incluídas. O ponto de encontro é próximo à estação de metrô Beixinqiao, para chegar fomos de DiDi (app de transporte tipo Uber) que chamamos com a nossa internet maravilhosa da Easysim4u (que não tem bloqueio e não precisa de VPN).

O grupo era composto de muitos turistas americanos, uma menina de Singapura e nós! rs Disseram que é raro ter brasileiros nesses tours, por isso achamos interessante divulgar para que mais pessoas possam conhecer.

As visitas são feitas em restaurantes locais, não muito famosos, que você não vai encontrar na primeira fase do tripadvisor, são segredos de Pequim.


Crippled Brothers Restaurant

O primeiro prato foi servido quando chegamos no Lao Liu’s Mongolian Firepot, mas são do restaurante “Crippled Brothers Restaurant”.

São bolinhos de carne de porco com repolho e bolinhos de ovo com alho-poró, cozidos no vapor, massa bem leve, muito saborosos. E também ombro de porco cozido e bem tempedo.


Lao Liu’s Mongolian Firepot

O Lao Liu’s Mongolian Firepot mostra pratos que tem grande influência da Mongólia. Houve uma época que a China foi dominada pela Mongólia liderada pelo imperador Gengis Khan.

Na mesa tem um objeto que representa o que os soldados faziam na época para cozinhar as suas refeições, ele tem o formato de um capacete de soldado mongol, onde eles ferviam água bem quente para fritar carne, legumes e cogumelos. Eles realmente usavam o capacete para proteção nas batalhas e como panela.

É impressionante como funciona, o preparo é bem rápido e fica gostoso. Na mesa haviam vários acompanhamentos. A carne para fritar, se não me engano, era cordeiro. Só por essa experiência rica em sabor e história o tour já vale.

E não pode faltar uma cerveja local para acompanhar a refeição:


Antes da próxima parada, o guia para em uma loja de conveniência e pega iogurtes para experimentarmos, muito gostoso.

E uma curiosidade, para o descarte da embalagem, ele pede para colocar o pote de vidro cuidadosamente num canto no chão pois as pessoas pegam o pote para reutilizar para outras finalidades.


Nuo Yan Rice Wine

Horade experimentar bebidas alcoólicas locais, uma casa que produz vinhos de arroz! Nunca tinha experimentado antes!

E tem vários sabores diferentes, desde misturado com frutas até outros mais puros (e consequentemente com teor alcoólico maior). É o tipo de coisa que só num tour como esse você vai descobrir.

É servida uma degustação dos principais sabores e no final é possível comprar os que você mais gostou. O nosso único problema era que estávamos viajando de mochila, não havia espaço e não podíamos levar uma garrafa na bagagem de mão.


Antes da próxima parada fazemos uma pausa para ir no banheiro, mas não é um banheiro qualquer, é um banheiro público! É comum em bairros que não são nobres que as pessoas não tenham banheiro em casa, por isso existem banheiros públicos que atendem essas pessoas. Em alguns lugares também vimos além dos banheiros, casas de banho.

É muito estranho! No banheiro feminino, todos eram no padrão chinês (no chão) exceto o de deficiente que era no padrão europeu (com privada), fica essa dica, sempre procure a cabine de deficiente senão quiser fazer ginástica para usar o banheiro no chão. Mas todos tinham porta e divisória separando.

Já no masculino o Leo contou que era tudo aberto! Sem porta, sem privacidade, um do lado do outro! OMG! E quando ele entrou tinha um cara lá de boa no celular utilizando o banheiro! rs

Tirando esse choque cultural, os banheiros apesar de serem públicos eram bem limpinhos, a comunidade deve cuidar bem deles. Mas nem sempre tinha sabão para lavar as mãos, por isso SEMPRE ande com um potinho de álcool gel.


Fatty Wang’s Donkey Burger

No Fatty Wang’s Donkey Burger a especialidade deles é hambúrguer com carne de burro! É um tipo de carne bem aceito por lá, inclusive eles até preferem mais do que a carne bovina.

É bem parecido com a carne bovina, talvez um pouquinho mais forte o sabor. Eu nunca tinha experimentado antes.

O que eles chamam de hambúrguer de burro, era algo tipo um salgado recheado, não é um hambúrguer padrão americano. E para acompanhar foi servida uma salada de pepino com um tempero picante.


No caminho para o próximo restaurante, paramos num mercado local para ver algumas frutas e legumes exóticos.

O que mais chamou a atenção é essa fruta muito estranha que eles cultivam dentro de um molde para ficar assim! rs


Qin Tang Wei Dao

Hora de experimentar um macarrão local, o prato da vez é o “Biangbiang noodles”, um macarrão bem famoso em Pequim.

Ele é feito na hora e podemos assistir a sua produção (tem vídeo nos destaques dos nossos stories de Pequim no Instagram), basicamente ele é feito batendo muito a massa na bancada.

O macarrão tem um tempero picante na medida e é muito saboroso, foi um dos meus favoritos do tour.


Mais uma curiosidade, durante o caminho entre um restaurante e outro, além de conhecermos vários banheiros públicos, passamos por muitos becos escuros sem iluminação.

Uma americana perguntou para o guia: “Não é perigoso andarmos em lugares como esse à noite? Em Chicago eu nunca andaria num lugar assim.” e ele disse “Não existe nenhum tipo de de ameaça ou criminalidade em Pequim, é 100% seguro”.

No Brasil também jamais andaríamos em lugares assim, a noite, sem iluminação, “na quebrada”, tirando foto e fazendo stories com iphone. Mais uma das lições que aprendemos na Ásia e que se repetiu na Tailândia e no Camboja.


Fifth Brother’s Chicken Wings

O ultimo restaurante, a entrada era como um típico “barzinho pé sujo” como diriam no Brasil, muito simples, você não dá nada olhando o lugar.

Foi servido um único prato: asinha de frango, mas é a ASINHA DE FRANGO DA SUA VIDA! Não existe igual! É um tempero familiar que passa de geração para geração, é um negocio diferenciado. Foi servido em versão normal e apimentada, ambos muito bons.

O Leo até hoje lembra dessa asinha de frango, marcou demais. É um dos maiores segredos de Pequim. E uma curiosidade, não deram pratos nem talher. Era para comer com a mão e deixar os ossos em cima da mesa.

Deram uma bebida local para experimentar, algo tipo uma cachaça chinesa. E no final teve essa fruta de sobremesa, “Longan”, que falam que lembra o olho do dragão.


E essa foi a maior imersão cultural que tivemos durante a nossa viagem à China. Foi muito além da comida, aprendemos sobre a cultura e costumes locais.

Esse tour pode ser reservado online no site da UnTour Food Tours.

Recomendo muito esse passeio para conhecer os segredos de Pequim, muito além dos clichês turísticos que todo mundo faz quando vai lá.


Dúvidas sobre a China? Grupo no Facebook!

Os post da China estão sendo bem acessados e muitas pessoas comentam ou mandam emails com dúvidas, criei um grupo no Facebook para que todos possam se ajudar com dicas, dúvidas e recomendações, acesse nesse link.


*Agradecemos a UnTour Food Tours pela parceria. As opiniões expressadas aqui são sinceras e baseiam na nossa experiência.

Salve esse post no Pinterest:

4 das Praias mais belas da Costa Azul (França) para visitar em 2019

A França é muito mais do que Paris e o litoral sul do país é prova disso. A Costa Azul ou Côte D´Azur é o destino perfeito para quem deseja tirar a roupa de banho da mala e aproveitar o litoral europeu. São cerca de 180 km de praias belíssimas e água cristalina. Não é à toa que a Costa Azul é conhecida como uma das faixas litorâneas mais belas do mundo.

Para lhe ajudar a montar um roteiro que inclua uma passadinha pelo litoral em sua próxima eurotrip, a seguir estão listadas as mais belas praias da França.


Plage des Marinières

A primeira praia da lista é tranquila e perfeita para momentos de relaxamento em família. Localizada próxima a Nice, a praia Marinière possui areia clarinha, água calma e cristalina, quase sem ondas, o que a torna segura principalmente para quem está viajando com crianças pequenas.

Dica: leve algum lanche na bolsa, pois, como trata-se de uma praia mais calma, não há muitos estabelecimentos próximos para a compra de comida ou bebida. Se estiver muito sol, é possível alugar um guarda sol pelo preço médio de 20€ por pessoa.


Calanque De Vau

Esta é, sem dúvida, uma das praias mais bonitas do país. Calanque D´En Vau está localizada dentro do Parque Nacional das Calanques, entre as cidades de Marselha e Cassis, em uma área super preservada.

O mar fica entre altas falésias, o que proporciona um visual incrível, cheio de contrastes com o mar azul turquesa. Mas, diferente da praia Marinière, a “areia” da praia é cheia de pedrinhas, típico da Costa Azul, e por isso vale a pena ter um calçado na bolsa.

Além disso, como a área é preservada e fica dentro de um parque natural, leve também alguns lanches e água na bolsa, pois, não há lanchonetes próximas.

Para chegar até lá é preciso fazer uma trilha, mas é possível escolher entre as mais leves, com duração mínima de 45 minutos, saindo do estacionamento Parking Coll de la Gardiole, ou as mais difíceis cujo trajeto pode chegar a durar 1h30.


Plage de Pampelonne

A próxima praia da lista é um pouco mais agitada e com melhor infraestrutura, ideal para passar a tarde toda tomando sol, degustando petiscos e experimentando bons drinks franceses. A região conta com restaurantes e quiosques próximos, e também estacionamento.

Além do visual de tirar o fôlego, a praia Pampelonne conta com muitos clubes próximos, como o Club 55, que regularmente oferecem festas por lá. Mas calma, as festas são divulgadas previamente e não acontecem todo dia.

Uma curiosidade é que essa praia ficou famosa depois de ter sido cenário de um filme estrelado por Brigitte Bardot, famosa atriz francesa.


Porquerolles

Para quem procura um visual paradisíaco e mais afastado das praias preferidas dos turistas pode optar por conhecer a deslumbrante Ilha Porquerolles, no arquipélago de Hyères na Côte d´Azur.

São várias praias, cada uma com seu toque especial, e a beleza natural da região é pouco explorada, sobretudo devido ao acesso ser limitado por barcos que saem de Toulon.

Dica: antes de embarcar para a ilha, lembre-se de levar comida e bebida.


E aí, gostou de conhecer algumas das praias da Costa Azul?  Qual delas será incluída no roteiro da sua próxima eurotrip?
Conte aqui nos comentários!

*Este artigo é publieditorial

Salve esse post no Pinterest:

Aventura: Trilha para o Pico do Lopo em Extrema-MG!

Em busca de novas aventuras pelas trilhas próximas da região que moro encontrei o roteiro da Ecovaletur para o “Pico do Lopo” em Extrema-MG.

Ano passado fiz uma trilha para a Serra do Queixo da Anta em São Francisco Xavier, mas o Leo não foi, dessa vez queria um roteiro para fazermos juntos.

A trilha para o Pico do Lopo é considerada entre fácil e moderado. Ao saber dessa classificação o Leo acabou subestimando o roteiro, mas depois se surpreendeu! rs

Antes de começar a trilha, paramos em um mirante e o pessoal da Ecovaletur monta um café da manhã muito bom com café quentinho, pão, geleia, queijo mineiro, bolo, uma delícia!

No inicio da trilha tem uma Pousada que serve como ponto de apoio. Tem estacionamento (só para carros, vans ficam na entrada do parque, num lugar mais longe), banheiro e servem almoço.

A trilha começa com trechos de mata fechada, estamos passando pelo meio da mata atlântica.

Tem trechos de subida, mas nessa parte também tem muitos trechos planos. Tem uma primeira pedra onde é feita uma parada, mas ainda está longe das melhores paisagens dessa aventura.

Passamos por um ponto onde haviam muitas barracas, um grupo que passou a noite acampado.

Quando chegamos a Pedra das Flores fazemos uma parada maior para descansar e tirar muitas fotos. A paisagem é linda! E nesse momento podemos avistar pela primeira o Pico do Lopo, ao fundo.

Bate até um pouco de receio, de “como é que vamos subir ali em cima?”, só vemos pedras íngremes! Oh god….

Após descanso, contemplação e fotos lindas para o Instagram, seguimos a trilha para o trecho final, o ataque ao cume.

E nessa parte tem os trechos de subida mais íngreme, mata fechada e depois quando nos aproximamos do pico tem subida com corda e muita escalaminhada nas pedras.

Já tinha feito um pouquinho de escalaminhada na trilha do queixo da anta e o Leo muito mais no Pico das Agulhas Negras e no Prateleiras, foi bem divertido e desafiador. Nessa parte o Leo mudou o conceito sobre o nível fácil da trilha e gostou, achou que realmente valeu a aventura.

Para chegar no topo mesmo, onde fica o livro do cume, só com equipamento para escalada. Quase ninguém faz essa parte, todo mundo fica no “cume normal”.

A alegria e a satisfação de conseguir chegar lá em cima não tem preço! Mesmo com todo o cansaço, a sensação de vencer o desafio faz tudo valer a pena.

Mais fotos e vídeos para os stories no Instagram enquanto estamos no cume e pausa para fazer um lanchinho para recuperar as energias, afinal ainda tem toda a volta! rs

No cume podemos ver de um lado o estado de Minas Gerais e do outro São Paulo, estamos na divisa entre os estados.

No lado de Minas da pra ver algumas empresas no meio da paisagem, e não é por nada não, mas o lado de São Paulo é lindo, com muitos lagos na paisagem! rs

A volta é sempre mais rápida, mas não é fácil, tem muitos trechos de subida também. A trilha é bem irregular. A minha cara de exausta durante a volta! rs

No final da trilha da volta, chegamos a pousada que serve como ponto de apoio, onde tem banheiro e estavam servindo um delicioso almoço caseiro.

E pensa que acabou? Que nada! Quem vai de carro pode estacionar nesse trecho da pousada. Quem vai em grupo de Van precisa andar mais uns 2km de subida íngreme para chegar na entrada da trilha onde as vans podem estacionar. Pior parte! rs

É possível fazer todas essas trilhas do parque sozinho, sem guia, mas não recomendo. Achei imprescindível estar com os guias da Ecovaletur guiando e dando todo o apoio.

O grupo era bem variado, haviam pessoas mais novas que nós, bem como senhoras de mais de 40 anos. Todos conseguiram completar a trilha e fazer todos os trechos de escalaminhada.

Eu amo essa sensação boa pós trilha de ter conseguido chegar até o fim e também todo esse contato com a natureza no caminho, isso renova as minhas energias para a rotina do dia a dia, me ajuda até mesmo a ter mais criatividade e ideias no meu trabalho.

Essa trilha eu classificaria como fácil até a Pedra das Flores e como moderada no ataque ao cume. Mas estando bem equipado (bota de trekking é essencial para segurança em qualquer trilha) e com um guia, acredito que qualquer um possa fazer.

E essas são as nossas dicas para quem quiser se aventurar pelo Pico do Lopo em Extrema-MG.

Ecovaletur


Salve esse post no Pinterest:

Onde se hospedar em Phuket (Tailândia): The Senses Resort & Pool Villas

Foto por booking.com

Hoje vamos mostrar uma dica de onde se hospedar em Phuket, cidade no litoral da Tailândia.

Após 15 dias viajando pela Ásia resolvemos tirar “férias das férias” e ficar 3 dias em um resort em Phuket relaxando um pouco.

Escolhemos no Booking o “The Senses Resort & Pool Villas”, onde na época 3 diárias saíram pelo total de R$ 1.166! Pela estrutura que o hotel oferece achamos que foi bem barato diárias por 300 e poucos reais.

Assim que chegamos tinha um “welcome drink” e toalhinhas úmidas nos esperando, achei muito legal o mimo.

Escolhemos “o quarto mais simples” do booking e olha só como ele é lindo e espaçoso. Há suítes com piscina privativa, chalés e apartamentos com acesso direto à piscina principal.

Haviam roupões, chinelos e bolsa de praia disponíveis para uso no guarda roupa.

O banheiro é bem espaçoso e a ducha do chuveiro bem larga.

Várias opções de amenities: sabonetes, cremes, shampoo, condicionador, touca de banho, cotonete, etc. E todo o dia eram respostas as duas garrafinhas de água de cortesia.

Além da TV, tinha até uma caixinha de som na bancada.

Também há uma varanda no quarto com duas cadeiras, utilizamos para secar toalhas e as roupas de praia.

Chegamos tarde, por volta da meia noite, com fome. Pedimos uma pizza no serviço de quarto o preço era bem ok e e estava muito boa.

Na manhã seguinte da nossa estadia tiramos um tempo para curtir o hotel.

Primeiro experimentamos o café da manhã. Haviam diversas opções no buffet e era possível pedir ovos de maneira personalizada feitos na hora e opções de noodles para o pessoal que curte um café da manhã asiático.

O Leo foi conhecer a academia e fazer a série de musculação dele. Eu optei por ir conhecer a piscina.

A piscina tem borda infinita e é um pouco funda (cobre a minha altura toda, deve ter aproximadamente 1m60cm de profundidade).

Tem várias cadeiras de praia e toalhas a disposição. No bar da piscina peguei uma piña colada.

A parte mais rasa da piscina era perto dos apartamentos que tem entrada para a piscina principal.

Para aproveitar melhor a piscina, porque eu não sei nadar, aluguei uma boia. Mas o Leo acabou curtindo mais com ela! rs Tinha de vários formatos, mas achei o biscoito mais amigável! rs

Almoçamos no bar da piscina do hotel. O Leo escolheu um combo de hambúrguer, batata frita e salada.

E eu fui de filé mignon ao molho madeira, purê de batata e legumes.

O preço estava na média de outros pratos que comemos na cidade de no shopping nos outros dias, não era mais caro por ser do hotel.

Depois de 15 dias comendo muita comida asiática deu vontade pedir opções mais ocidentais.

Haviam muitos casais com crianças, de todas as nacionalidades. O resort tem uma brinquedoteca e piscina infantil para os pequenos.

Havia possibilidade de contratar Thai Massagem para fazer no Spa do resort, mas esse serviço não valia a pena porque era mais caro do que nas casas de massagem da cidade.

O hotel oferece transfers o dia todo de ida e volta para o Jungceylon Shopping Center e para a Patong Beach. Usamos esse transfer todos os dias.

Jungceylon Shopping Center

No saguão do hotel tem uma agencia de viagens, usamos ela para contratar um passeio para Coral Island , Banana Beach e Racha Beach. E depois também para contratar transfer para o píer e o ferry para a Phi Phi Island.

Leo fazendo snorkel em Coral Island

Achei a estrutura do resort espetacular pelo preço cobrado, um custo beneficio muito bom. Já paguei esse valor de diária em pousadas de praia no Brasil que não tinham nem a metade dessas opções de lazer.

Não tenho dúvidas que se um dia voltar para Phuket ficarei hospedada no The Senses Resort & Pool Villas novamente.


The Senses Resort & Pool Villas


Salve esse post no Pinterest:

DiDi: o aplicativo de transporte tipo Uber para usar na China!

Foto por pixabay

Hoje vou passar uma dica de ouro, DiDi o melhor aplicativo de transporte para usar na China.

Na China, além de ser bloqueado Google, Facebook, Instagram, Whatsapp e etc, não tem o aplicativo Uber!

Mas calma! A alternativa que faz exatamente a mesma coisa, um app para chamar um transporte colocando o seu destino e pagando online, é o DiDi.

Em Pequim quase ninguém fala inglês, é desesperador tentar chamar um táxi e explicar para onde você vai. Os táxis as vezes são carros bem velhos, caindo aos pedaços e ainda cobram caro.

Usamos táxi duas vezes: quando chegamos no aeroporto e mostramos o endereço do hotel (EM CHINÊS) no papel de confirmação do Booking e mesmo assim o taxista demorou para entender o nome do hotel e a localização.

E na segunda vez mostramos A FOTO da “praça da paz celestial”, um ícone de Pequim, o taxista olhou com uma cara como se nunca tivesse visto aquele lugar (WTF?!) chamou mas três outros taxistas que estavam no ponto para pedir uma opinião e acabou nos deixando no portal lateral da Cidade Proibida, bem longe e absolutamente nada a ver com o lugar que queríamos ir….

Depois dessas duas experiências traumáticas, usando o nosso chip da Easysim4u que não sofre bloqueio na China por ser um chip americano na função roaming, criamos coragem para testar o DiDi.

O aplicativo esta disponível para Android e IOS e atenção, baixe ANTES DA VIAGEM para fazer a validação, eles mandam um código via SMS que você vai receber no seu chip no Brasil.

E nos surpreendemos muito! O aplicativo é exatamente igual ao Uber, basta colocar o destino, escolher o tipo de carro, cadastrar uma forma de pagamento e chamar. Funciona muito bem e é barato.

E o melhor, não precisa falar nada com o motorista, ele apenas te pega e te deixa no lugar certo. Acredite, isso é maravilhoso quando se está viajando em Pequim. Resolveu a nossa vida!

As formas de pagamento podem ser cartão de crédito habilitado para uso internacional (a melhor), Alipay (quem usa Aliexpress deve conhecer, é tipo um Paypal chinês) e outros meios mais específicos da China.

Uma dica que o guia de um tour que fomos deu é que, principalmente em horários à noite ou de madrugada, escolher uma categoria de carro mais chique (premier ou luxe) para conseguir uma corrida rapidamente.

Utilizamos essa dica para chamar um DiDi as 4h da manhã para ir para o aeroporto de Pequim e foi sucesso.Para isso é possível também reservar a corrida pelo aplicativo com antecedência.

Em 5 minutos apareceu um carro e mesmo usando uma categoria “mais cara”, a corrida deu por volta de 60 reais (na época). Foi mais barato do que o valor cobrado pelo táxi na chegada em Pequim.

E essa é uma das principais dicas que tenho para te dar e evitar passar muitos perrengues em Pequim. Use DiDi e vá para onde você quiser sem ter problemas com o idioma.


Todos os posts sobre essa viagem:

GERAIS CHINA

Dúvidas sobre a China? Grupo no Facebook!

Os post da China estão sendo bem acessados e muitas pessoas comentam ou mandam emails com dúvidas, criei um grupo no Facebook para que todos possam se ajudar com dicas, dúvidas e recomendações, acesse nesse link.


Salve esse post no Pinterest: