Aventura: Trilha para o Pico do Lopo em Extrema-MG!

Em busca de novas aventuras pelas trilhas próximas da região que moro encontrei o roteiro da Ecovaletur para o “Pico do Lopo” em Extrema-MG.

Ano passado fiz uma trilha para a Serra do Queixo da Anta em São Francisco Xavier, mas o Leo não foi, dessa vez queria um roteiro para fazermos juntos.

A trilha para o Pico do Lopo é considerada entre fácil e moderado. Ao saber dessa classificação o Leo acabou subestimando o roteiro, mas depois se surpreendeu! rs

Antes de começar a trilha, paramos em um mirante e o pessoal da Ecovaletur monta um café da manhã muito bom com café quentinho, pão, geleia, queijo mineiro, bolo, uma delícia!

No inicio da trilha tem uma Pousada que serve como ponto de apoio. Tem estacionamento (só para carros, vans ficam na entrada do parque, num lugar mais longe), banheiro e servem almoço.

A trilha começa com trechos de mata fechada, estamos passando pelo meio da mata atlântica.

Tem trechos de subida, mas nessa parte também tem muitos trechos planos. Tem uma primeira pedra onde é feita uma parada, mas ainda está longe das melhores paisagens dessa aventura.

Passamos por um ponto onde haviam muitas barracas, um grupo que passou a noite acampado.

Quando chegamos a Pedra das Flores fazemos uma parada maior para descansar e tirar muitas fotos. A paisagem é linda! E nesse momento podemos avistar pela primeira o Pico do Lopo, ao fundo.

Bate até um pouco de receio, de “como é que vamos subir ali em cima?”, só vemos pedras íngremes! Oh god….

Após descanso, contemplação e fotos lindas para o Instagram, seguimos a trilha para o trecho final, o ataque ao cume.

E nessa parte tem os trechos de subida mais íngreme, mata fechada e depois quando nos aproximamos do pico tem subida com corda e muita escalaminhada nas pedras.

Já tinha feito um pouquinho de escalaminhada na trilha do queixo da anta e o Leo muito mais no Pico das Agulhas Negras e no Prateleiras, foi bem divertido e desafiador. Nessa parte o Leo mudou o conceito sobre o nível fácil da trilha e gostou, achou que realmente valeu a aventura.

Para chegar no topo mesmo, onde fica o livro do cume, só com equipamento para escalada. Quase ninguém faz essa parte, todo mundo fica no “cume normal”.

A alegria e a satisfação de conseguir chegar lá em cima não tem preço! Mesmo com todo o cansaço, a sensação de vencer o desafio faz tudo valer a pena.

Mais fotos e vídeos para os stories no Instagram enquanto estamos no cume e pausa para fazer um lanchinho para recuperar as energias, afinal ainda tem toda a volta! rs

No cume podemos ver de um lado o estado de Minas Gerais e do outro São Paulo, estamos na divisa entre os estados.

No lado de Minas da pra ver algumas empresas no meio da paisagem, e não é por nada não, mas o lado de São Paulo é lindo, com muitos lagos na paisagem! rs

A volta é sempre mais rápida, mas não é fácil, tem muitos trechos de subida também. A trilha é bem irregular. A minha cara de exausta durante a volta! rs

No final da trilha da volta, chegamos a pousada que serve como ponto de apoio, onde tem banheiro e estavam servindo um delicioso almoço caseiro.

E pensa que acabou? Que nada! Quem vai de carro pode estacionar nesse trecho da pousada. Quem vai em grupo de Van precisa andar mais uns 2km de subida íngreme para chegar na entrada da trilha onde as vans podem estacionar. Pior parte! rs

É possível fazer todas essas trilhas do parque sozinho, sem guia, mas não recomendo. Achei imprescindível estar com os guias da Ecovaletur guiando e dando todo o apoio.

O grupo era bem variado, haviam pessoas mais novas que nós, bem como senhoras de mais de 40 anos. Todos conseguiram completar a trilha e fazer todos os trechos de escalaminhada.

Eu amo essa sensação boa pós trilha de ter conseguido chegar até o fim e também todo esse contato com a natureza no caminho, isso renova as minhas energias para a rotina do dia a dia, me ajuda até mesmo a ter mais criatividade e ideias no meu trabalho.

Essa trilha eu classificaria como fácil até a Pedra das Flores e como moderada no ataque ao cume. Mas estando bem equipado (bota de trekking é essencial para segurança em qualquer trilha) e com um guia, acredito que qualquer um possa fazer.

E essas são as nossas dicas para quem quiser se aventurar pelo Pico do Lopo em Extrema-MG.

Ecovaletur


Salve esse post no Pinterest:

Onde se hospedar em Phuket (Tailândia): The Senses Resort & Pool Villas

Foto por booking.com

Hoje vamos mostrar uma dica de onde se hospedar em Phuket, cidade no litoral da Tailândia.

Após 15 dias viajando pela Ásia resolvemos tirar “férias das férias” e ficar 3 dias em um resort em Phuket relaxando um pouco.

Escolhemos no Booking o “The Senses Resort & Pool Villas”, onde na época 3 diárias saíram pelo total de R$ 1.166! Pela estrutura que o hotel oferece achamos que foi bem barato diárias por 300 e poucos reais.

Assim que chegamos tinha um “welcome drink” e toalhinhas úmidas nos esperando, achei muito legal o mimo.

Escolhemos “o quarto mais simples” do booking e olha só como ele é lindo e espaçoso. Há suítes com piscina privativa, chalés e apartamentos com acesso direto à piscina principal.

Haviam roupões, chinelos e bolsa de praia disponíveis para uso no guarda roupa.

O banheiro é bem espaçoso e a ducha do chuveiro bem larga.

Várias opções de amenities: sabonetes, cremes, shampoo, condicionador, touca de banho, cotonete, etc. E todo o dia eram respostas as duas garrafinhas de água de cortesia.

Além da TV, tinha até uma caixinha de som na bancada.

Também há uma varanda no quarto com duas cadeiras, utilizamos para secar toalhas e as roupas de praia.

Chegamos tarde, por volta da meia noite, com fome. Pedimos uma pizza no serviço de quarto o preço era bem ok e e estava muito boa.

Na manhã seguinte da nossa estadia tiramos um tempo para curtir o hotel.

Primeiro experimentamos o café da manhã. Haviam diversas opções no buffet e era possível pedir ovos de maneira personalizada feitos na hora e opções de noodles para o pessoal que curte um café da manhã asiático.

O Leo foi conhecer a academia e fazer a série de musculação dele. Eu optei por ir conhecer a piscina.

A piscina tem borda infinita e é um pouco funda (cobre a minha altura toda, deve ter aproximadamente 1m60cm de profundidade).

Tem várias cadeiras de praia e toalhas a disposição. No bar da piscina peguei uma piña colada.

A parte mais rasa da piscina era perto dos apartamentos que tem entrada para a piscina principal.

Para aproveitar melhor a piscina, porque eu não sei nadar, aluguei uma boia. Mas o Leo acabou curtindo mais com ela! rs Tinha de vários formatos, mas achei o biscoito mais amigável! rs

Almoçamos no bar da piscina do hotel. O Leo escolheu um combo de hambúrguer, batata frita e salada.

E eu fui de filé mignon ao molho madeira, purê de batata e legumes.

O preço estava na média de outros pratos que comemos na cidade de no shopping nos outros dias, não era mais caro por ser do hotel.

Depois de 15 dias comendo muita comida asiática deu vontade pedir opções mais ocidentais.

Haviam muitos casais com crianças, de todas as nacionalidades. O resort tem uma brinquedoteca e piscina infantil para os pequenos.

Havia possibilidade de contratar Thai Massagem para fazer no Spa do resort, mas esse serviço não valia a pena porque era mais caro do que nas casas de massagem da cidade.

O hotel oferece transfers o dia todo de ida e volta para o Jungceylon Shopping Center e para a Patong Beach. Usamos esse transfer todos os dias.

Jungceylon Shopping Center

No saguão do hotel tem uma agencia de viagens, usamos ela para contratar um passeio para Coral Island , Banana Beach e Racha Beach. E depois também para contratar transfer para o píer e o ferry para a Phi Phi Island.

Leo fazendo snorkel em Coral Island

Achei a estrutura do resort espetacular pelo preço cobrado, um custo beneficio muito bom. Já paguei esse valor de diária em pousadas de praia no Brasil que não tinham nem a metade dessas opções de lazer.

Não tenho dúvidas que se um dia voltar para Phuket ficarei hospedada no The Senses Resort & Pool Villas novamente.


The Senses Resort & Pool Villas


Salve esse post no Pinterest:

DiDi: o aplicativo de transporte tipo Uber para usar na China!

Foto por pixabay

Hoje vou passar uma dica de ouro, DiDi o melhor aplicativo de transporte para usar na China.

Na China, além de ser bloqueado Google, Facebook, Instagram, Whatsapp e etc, não tem o aplicativo Uber!

Mas calma! A alternativa que faz exatamente a mesma coisa, um app para chamar um transporte colocando o seu destino e pagando online, é o DiDi.

Em Pequim quase ninguém fala inglês, é desesperador tentar chamar um táxi e explicar para onde você vai. Os táxis as vezes são carros bem velhos, caindo aos pedaços e ainda cobram caro.

Usamos táxi duas vezes: quando chegamos no aeroporto e mostramos o endereço do hotel (EM CHINÊS) no papel de confirmação do Booking e mesmo assim o taxista demorou para entender o nome do hotel e a localização.

E na segunda vez mostramos A FOTO da “praça da paz celestial”, um ícone de Pequim, o taxista olhou com uma cara como se nunca tivesse visto aquele lugar (WTF?!) chamou mas três outros taxistas que estavam no ponto para pedir uma opinião e acabou nos deixando no portal lateral da Cidade Proibida, bem longe e absolutamente nada a ver com o lugar que queríamos ir….

Depois dessas duas experiências traumáticas, usando o nosso chip da Easysim4u que não sofre bloqueio na China por ser um chip americano na função roaming, criamos coragem para testar o DiDi.

O aplicativo esta disponível para Android e IOS e atenção, baixe ANTES DA VIAGEM para fazer a validação, eles mandam um código via SMS que você vai receber no seu chip no Brasil.

E nos surpreendemos muito! O aplicativo é exatamente igual ao Uber, basta colocar o destino, escolher o tipo de carro, cadastrar uma forma de pagamento e chamar. Funciona muito bem e é barato.

E o melhor, não precisa falar nada com o motorista, ele apenas te pega e te deixa no lugar certo. Acredite, isso é maravilhoso quando se está viajando em Pequim. Resolveu a nossa vida!

As formas de pagamento podem ser cartão de crédito habilitado para uso internacional (a melhor), Alipay (quem usa Aliexpress deve conhecer, é tipo um Paypal chinês) e outros meios mais específicos da China.

Uma dica que o guia de um tour que fomos deu é que, principalmente em horários à noite ou de madrugada, escolher uma categoria de carro mais chique (premier ou luxe) para conseguir uma corrida rapidamente.

Utilizamos essa dica para chamar um DiDi as 4h da manhã para ir para o aeroporto de Pequim e foi sucesso.Para isso é possível também reservar a corrida pelo aplicativo com antecedência.

Em 5 minutos apareceu um carro e mesmo usando uma categoria “mais cara”, a corrida deu por volta de 60 reais (na época). Foi mais barato do que o valor cobrado pelo táxi na chegada em Pequim.

E essa é uma das principais dicas que tenho para te dar e evitar passar muitos perrengues em Pequim. Use DiDi e vá para onde você quiser sem ter problemas com o idioma.


Todos os posts sobre essa viagem:

GERAIS CHINA

Dúvidas sobre a China? Grupo no Facebook!

Os post da China estão sendo bem acessados e muitas pessoas comentam ou mandam emails com dúvidas, criei um grupo no Facebook para que todos possam se ajudar com dicas, dúvidas e recomendações, acesse nesse link.


Salve esse post no Pinterest:

Aula de Culinária Tailandesa com a Benny’s Home Cooking em Chiang Mai

Sempre que viajamos para um novo país, não pode faltar no nosso roteiro uma aula de culinária do lugar. Já fizemos aula de culinária no Peru, Argentina, França, Camboja  e Brasil.

Na Tailândia não poderia ser diferente, ainda mais com uma gastronomia tão famosa e rica e sabores.

A cidade escolhida para essa atividade foi Chiang Mai, que fica no norte do país e tem muita  tradição na gastronomia tailandesa.

Posso garantir que devem ter mais de 100 opções de aula de culinária lá! É uma das principais atividades turísticas! Por isso é muito difícil escolher.

Havíamos reservado uma que vimos no Tripadvisor e na véspera da aula eles simplesmente cancelaram! Com isso, fomos tentando outras opções, sempre recebendo mensagens falando que estava lotado, que era uma reserva muito em cima da hora.

Até que conseguimos contato com a Benny e por sorte ela tinha apenas duas vagas para o dia seguinte. Pagamos a reserva via paypal e garantimos as nossas vagas.

Demorei um pouco para escrever esse post porque queria contar todos os detalhes, fazer jus a qualidade da aula que tivemos, que sem sombra de dúvidas, foi a melhor de todas até então.


Benny’s Home Cooking Chiang Mai

A Benny é muito bem recomendada no tripadvisor, ela não paga para estar num livro com recomendações de escolas que fica nos hotéis, o marketing dela é feito exclusivamente pelas recomendações de quem já foi lá.

Enquanto escrevia esse post fiquei muito feliz em ver que ela subiu várias posições no tripadvisor e agora esta em terceiro lugar para Cooking Class em Chiang Mai.


Mercado Local

Está incluso translado do hotel em um carro que é tipo um tuk-tuk grande (bem comum na região).

E enquanto passava buscar o pessoal nos hotéis já recebemos as fichas para escolher quais pratos iríamos fazer para comprar os ingredientes no mercado.

A cooking class começa em um mercado local, onde fazemos um tour e experimentamos algumas comidas típicas.

Benny mostra e explica sobre muitos ingredientes e peculiaridades da culinária tailandesa. Esse contato com a vida real do povo tailandês enriquece muito essa experiência.

Dentre as coisas que experimentamos, gostei bastante desse doce de coco e do doce de banana enrolado na folha.

Esse mercado é muito mais frequentado por locais do que por turistas. Não é tão chocante quanto o que fomos em Siem Reap (Camboja), mas é exótico.


Aula de Culinária da Benny

Primeiro Benny nos mostra sua casa, sua horta e o local onde será a aula.

Na sala da casa dela tem na parede informação com todas as nacionalidades que ela já deu aula e quantas pessoas de cada país.

No tour pela sua horta no quintal ela explica um pouco sobre os temperos mais utilizados na culinária tailandesa.

Antes de iniciar a aula ela serve um drink chamado “Sexy Benny”! rs Ao misturar as duas bebidas o drink muda de cor, é bem divertido.

Durante a aula tem água e chá a vontade. E é possível comprar cerveja e refrigerante. Benny também vende alguns produtos alimentícios e até mesmo a panela (tacho) de fazer pad thai.

Cada um tem a sua bancada com os ingredientes de acordo com as receitas escolhidas, fogão e avental.

De entrada eu escolhi preparar o “Spring Roll” que é tipo um rolinho primavera fresco, sem utilizar fritura.

O Leo escolheu preparar tipo um espetinho de frango com um molho picante.

De sopa eu escolhi a mais tradicional: Tom Yum, uma delicia.

O Leo escolheu uma opção um pouco mais apimentada.

De prato principal escolhemos o Pad Thai tradicional, que era uma das principais razões de estarmos fazendo essa aula.

E depois disso conseguimos inclusive repetir a receita em casa, até contei sobre as adaptações e o resultado aqui no blog.

Amei aprender a preparar o meu prato tailandês favorito, os segredos da Benny dão ainda mais sabor nessa receita.

Após o Pad Thai é feita uma pausa para descanso, tem alguns sofás e cadeiras para relaxar. Aproveitamos para conversar com o pessoal do grupo, todos muito simpáticos.

Na segunda etapa preparamos o nosso próprio Curry! Moemos todos os ingredientes num pilão até formar a pasta do Curry.

Fiz um de frango e o Leo novamente uma opção um pouco mais apimentada. O resultado foi sucesso!

E para finalizar preparamos a sobremesa. O Leo fez algo tipo um pudim de banana com arroz.

E eu escolhi a sobremesa mais comum da Tailândia: Mango Sticky Rice. A Benny ainda serviu umas frutas para acompanhar a sobremesa.

Teve também uma surpresa para um casal do grupo que estava de lua de mel.

A aula da Benny foi sem dúvidas a melhor cooking class que já fizemos (e olha que já participamos de várias pelo mundo), vai ser difícil ser superada.

No final da aula o transfer da Benny nos deixou no shopping ao lado do aeroporto de Chiang Mai, tiveram muito cuidado para que chegássemos com tempo suficiente de antecedência para o voo.

Além das receitas deliciosas que aprendemos, Benny sabe levar a aula com muito humor e leveza, as 4 ou 5 horas de duração passam muito rápido.

Não importa que tenha outras cooking class em Chiang Mai, que sejam mais perto do seu hotel ou até mesmo mais baratas, escolha a melhor e não se arrependa ;D


Benny’s Home Cooking Chiang Mai

  • Endereço: บ้านท่าใหม่อิ ซอย ๘ Tambon Pa Daet, Amphoe Mueang Chiang Mai, Chang Wat Chiang Mai
  • Telefone: +66(0) 94 468 9377 , +66(0) 94 736 4078
  • Site: https://www.bennyhomecooking.com/

 

No Barko, o melhor restaurante japonês de São José dos Campos-SP

Foto por Tripadvisor

Hoje vou falar sobre o restaurante japonês No Barko. É engraçado como as vezes a gente vai tanto num lugar, gosta tanto dele, mas tem dificuldades para escrever e conseguir expressar isso.

Escrevo sobre vários restaurantes da minha cidade e que conhecemos pelo mundo, geralmente escrevo com mais facilidade sobre lugares novos, descobertas, restaurantes que muitas vezes nem volto.

Estou ensaiando há anos fazer um post sobre o meu restaurante japonês favorito ever e dessa vez finalmente foi possível concluir esse post.

Moro em São José dos Campos, interior de São Paulo, cidade onde tem diversos restaurantes dessa categoria.

Já experimentamos a maioria deles, pelo menos os mais badalados, e no final sempre acabamos optando por voltar no No Barko.

O que nos cativa nesse restaurante é sem dúvidas a qualidade dos produtos e do atendimento.

O lugar não é grande, muitas vezes é necessário fazer reserva para garantir uma mesa ou ter disponibilidade para esperar, mas vale a pena.

Os grandes destaques são a qualidade dos peixes servidos, os sashimis são fresquinhos (não são congelados como em outros restaurantes), você nota a qualidade pela cor e textura que são diferenciados.

O combinado não tem sushis muito diferentões, eles apostam nas opções mais tradicionais (jyo, uramaki, niguiri, etc).

De uns tempos pra cá começaram a servir niguiri massaricado (poderia ter mais opções de massaricados no rodízio! Adoro jyo massaricado) e o sushi baterá do dia (as vezes de salmão, as vezes de atum, sempre muito gostoso).

Na maioria das vezes na entrada vem um sushi especial, com algum molho especial, que eles sugerem que coma sem colocar shoyo.

No cardápio também vale ressaltar como diferencial as guiozas cozidas no vapor, são saborosas e não são gordurosas.

Os temakis geralmente pedidos do de salmão, cream cheese e cebolinha sem arroz, vem bem recheado.

O ceviche é bem temperado, bate um pouco daquela lembrança dos restaurantes de Lima e Cusco.

A lula na manteiga, até hoje, só vi servida dessa forma no No Barko. E é um dos nossos pratos favoritos! Sempre pedimos ela com bastante molho, bem moreninha e quentinha. Vale a pena experimentar! Nos outros restaurantes sempre ela é servida à dorê (empanada).

Fiquei um pouco surpresa, porque as vezes vamos até umas 3 ou 4 vezes no mês lá e não temos muitas fotos! rs A fome é sempre muito grande e esquecemos de tirar fotos por já estarmos muito acostumados com o local.

Foto por Tripadvisor

Eles também tem como opção um cardápio a la carte bem variado e no inverno tem  lámen (ainda não experimentei).

Há alguns meses eles começaram a fazer delivery, as entregas são feitas pelo ifood e pelo rappi. Pena que o meu bairro não está na área de cobertura.

E essa é a dica que eu tenho para te dar… Com tantos restaurantes praticamente iguais na cidade, o No Barko consegue se destacar pela qualidade e originalidade no cardápio.

No Barko – Culinária Oriental

  • Endereço: Av. São João, 430 – Jardim Esplanada, São José dos Campos – SP
  • Telefone: (12) 3942-1439
  • Horário de Funcionamento: Segunda – fechado, De terça à quinta das 19h00 as 23h00, sexta e sábado das 12h00 as 15h00 e das 19h00 as 23h00, domingo das 12h00 as 16h00

Salve esse post no Pinterest:

Cartão “Cape Town Flexi Attractions Pass”: Vale a pena? Quais são as atrações?

As cidades mais famosas do mundo para o turismo costumam ter cartões “City Pass” que dão acesso à um grande numero de atrações com descontos.

Já mostramos aqui como funciona o Brussels Card e o Paris Museum Pass, mas o que pouca gente sabe é que existe um cartão desse tipo para as atrações de Cape Town!

Por isso fiz esse post para mostrar como funciona e o que é incluso no Cape Town Flexi Attractions Pass.

Quando eu viajei para Cape Town ainda não existia esse cartão, então não posso contar sobre o uso na prática. Se alguém já tiver usado compartilhe conosco nos comentários a sua opinião.


Vale a pena comprar o “Cape Town Flexi Attractions Pass”?

Analisando as atrações inclusas e o preço das opções do cartão, cheguei a conclusão que vale a pena principalmente se você tiver bastante tempo na cidade e usar o cartão de 5 atrações, nesse caso o custo beneficio é ótimo.

Vale a pena também se você tem pelo menos 3 dias inteiros para usar apenas as atrações do cartão, num roteiro com até 3 dias na cidade dividido entre outras atrações ficaria muito caro para pouco uso.

Pense primeiro no seu perfil de viajante e depois na quantidade de dias que você tem dedicados à Cape Town no seu roteiro, antes de analisar a possibilidade do uso desse cartão.

O portfólio de passeios inclusos é excelente, porque além das atrações famosas tem descontos em lojas e restaurantes, que tornam a viagem mais econômica. Numa próxima viagem à Cape Town eu pretendo testar esse cartão.


Preços e onde comprar

O cartão é vendido online pela empresa Civitatis nas opções de 3 e 5 atrações com desconto!

No Civitatis por exemplo o cartão de 5 atrações sai aproximadamente R$379,20, o que gera uma grande economia! Acesse, confira e compre nesse link.

Será enviado um email com um voucher que você poderá imprimir ou levar no celular no dia da atividade.


#Roteiro: 10 dias na Garden Route / Rota Jardim (Africa do Sul) - Post Indice

Quais atrações estão inclusas?

O cartão Cape Town Flexi Attractions Pass é um passe que lhe permitirá ter acesso gratuito às principais atrações da Cidade do Cabo.

Você escolhe a quantidade de atrações que deseja visitar e, além disso, economiza durante sua estadia na cidade sul-africana.

  • Bondinho da Table Mountain
  • Ônibus turístico da Cidade do Cabo
  • Cruzeiro ao entardecer pela Cidade do Cabo
  • Tour de TukTuk pelos vinhedos de Francschhoek
  • Ingresso para o Alpaca Loom
  • Hard Rock Café da Cidade do Cabo
  • Degustação de cervejas
  • Museu dos diamantes
  • Roda-gigante da Cidade do Cabo
  • É possível consultar a lista completa nesse link.

Como funciona?

No momento de fazer sua reserva você poderá escolher ter acesso a 3 ou 5 atrações da cidade.

O cartão Cape Town Flexi Attractions Pass dá acesso uma única vez a cada atração e é válida por 14 dias a partir do momento de sua ativação.

Para utilizar basta apresentar o voucher que você poderá imprimir ou levar no celular no dia da atividade.


Leia mais

Aventura: passeio de quadriciclo em Salesópolis-SP

Quem acompanha o blog já deve ter percebido que adoramos nos aventurar com quadriciclo.

Em Natal-RN foi a nossa primeira experiência em um trajeto que misturava dunas e praias.

Ano passado em Siem Reap (Camboja) fizemos outro passeio, completamente diferente, pela zona rural, passando por plantações, pequenos vilarejos e até mesmo ruínas de templos ancestrais.

Em busca de novas aventuras, encontramos o roteiro da empresa Trail Friends (de São José dos Campos) com quadriciclo em Salesópolis, em parceria com a empresa Salesópolis Adventure.

Salesópolis fica há 56 km de São José dos Campos e há 105 km de São Paulo, confesso que nunca tinha ido nessa cidade, apenas tinha ouvido falar.

Além do passeio do quad, havia no roteiro um churrasco depois, combinado entre os participantes daquele dia.

Uma sugestão seria incluir também um passeio pelas cachoeiras da região. Pois o passeio de quad é dividido em equipes, não dá para ir todo mundo de uma só vez. Então seria mais uma opção durante a espera, junto ao churrasco.

Como era nossa terceira vez de quadriciclo imaginei que haveriam poucas surpresas e emoções, mas o trajeto pela zona rural da cidade é muito bem planejado.

Achei um trajeto bem mais técnico que os outros que fizemos,  tem muita subida e descida, nunca usei tanto o freio como naquele dia. Até houve um momento que tive que frear e desviar rapidamente de um boi que correu na minha direção! rs

O ponto alto do passeio, sem dúvidas, é quando subimos no topo de um pico. A subida é bem íngreme e paisagem lá em cima é simplesmente maravilhosa.

Essa é a maior parada do passeio, para descansar, contemplar e tirar muitas fotos.

É maravilhosa a vista da represa, que é um dos reservatórios de água do Sistema Produtor do Alto Tietê.

Em dois ou três trechos passamos por pequenas pontes de madeira, dá um medinho! rs E no final passamos por um pequeno trecho com água, de alguma nascente do rio.

Se eu pudesse parava tirar foto o tempo todo, cada lugar maravilhoso! Mas essa beleza, na integra, é só para quem embarca nessa aventura.

Fomos no primeiro grupo, pela manhã, quando chegamos o churrasco já estava pronto. Foi ótimo! Depois de aproximadamente 2h30 de aventura dá bastante fome.

O passeio pode ser agendado por conta própria com a Salesópolis Adventure para quem vai direto para lá ou pela Trail Friends para quem quer agendar junto com transporte saindo de São José dos Campos e região.

Cada vez que ando de quadriciclo é uma aventura completamente diferente e confesso que essa foi uma das melhores. Já estou pensando onde será a próxima! rs


O que levar e cuidados no passeio de quadriciclo:

  • GOPRO! Eles tem capacetes que tem encaixe próprio para colocar a GoPro
  • Passar muito protetor solar, principalmente se for no verão
  • Agua, vai dar muita sede!
  • Tem uma sala na Salesópolis Adventure que você pode deixar a sua bolsa e demais pertences que não for usar, leve somente o necessário (água, câmera/celular)
  • Blusa UV de manga comprida ajuda bastante, nos dois optamos por usar
  • Óculos escuro
  • De sapato usamos bota de trekking, além de pratico, pode molhar porque os nossos modelos são à prova d’gua
  • Como fomos no inverno, usamos casaco corta vento e foi bem necessário no inicio do passeio, estava um vento bem gelado.
  • Para proteger do frio, vento e poeira usamos um bandana no pescoço

Trail Friends Adventure Sport

  • São José dos Campos e região
  • Whatsapp (12) 98152-9054 / Instagram

Salesópolis Adventure

  • Endereço: Rua São Cristóvão, 611 Salesópolis
  • Whatsapp (11) 99552-9178 / Instagram


Salve esse post no Pinterest:

Aula de snowboard no Cerro Catedral, Bariloche (Argentina)

Sempre tive atração por esportes radicais tanto que hoje pratico algumas alguns. Um dos meus primeiros contatos com esse mundo foi quando tive uma aula de snowboard no Cerro Catedral em Bariloche (Argentina).

Isso foi há 3 anos, quando comecei o meu projeto de vida saudável e mudei meu estilo de vida, perdendo aproximadamente 30kg.

Quando planejamos a viagem para Bariloche, no final do inverno/inicio da primavera de 2016, tivemos a sorte de ainda ter neve e a estação Cerro Catedral estar funcionando, mesmo quase sendo Outubro.

Compramos antecipadamente pela internet a aula e no dia pegamos o ônibus no ponto de encontro indicado pela agencia no centro de Bariloche.

É possível agendar quando chegar na cidade, mas se você for em alta temporada pode ter problemas em conseguir uma vaga.

Já tive contato com a neve em uma viagem anterior que fizemos para o Valle Nevado no Chile, por isso dessa vez queria focar na prática de um esporte.

A Ju optou por fazer a aula de esqui, que ela já contou aqui no blog que não deu muito certo, fizemos aulas separadas.

Escolhi snowboard ao invés de esqui, porque desde de criança foi algo que sempre me fascinou, tanto em filmes quanto nos vídeo games.

Eu senti muita liberdade e ao mesmo tempo controle sobre o meu corpo enquanto descia.

A sensação era como se estivesse descendo uma ladeira sem nenhuma chance de frear pois a prancha no gelo não tinha quase atrito, diferente do skate que sentimos as rodas no asfalto, a neve é como manteiga.

Saiba que você vai cair mais de uma vez e isso faz parte da aula e do aprendizado. Mas tudo é muito gratificante.

A cada descida completada ou cada tombo me deixava mais motivado a continuar praticando.

É um esporte que requer muita energia, é cansativo pois a todo momento é necessário subir novamente as ladeiras, com a bota e a prancha (ambos pesados) para descer novamente.

O equipamento (bota e prancha) estava incluso no valor pago pela aula, paguei por fora só o capacete que achei necessário.

É imprescindível contratar um seguro viagem quando você pensa em fazer um esporte como esse. Contratei pela seguros promo, usando o cupom JUNYPELOMUNDO5 você tem 5% de desconto e ganha mais 5% se pagar via boleto bancário.

A aula dura em torno de 2 horas e após a aula você pode continuar praticando por conta própria nas pistas de treino ou se aventurar nas grandes descidas.

Apesar da dificuldade por estar praticando esse esporte pela primeira vez, acho que me saí bem e não tenho dúvidas que vou tentar novamente quando tiver uma outra oportunidade.

PASSEIOS EM BARILOCHE

É possível agendar a maioria dos passeios com antecedência pela civitatis, principalmente na alta temporada (inverno) é recomendado agendar antes. Algumas atividades dessa lista são feitas somente no verão (rafiting, caiaque e algumas trilhas).
Salve esse post no Pinterest:  

Lamen-YA, culinária tradicional japonesa em São José dos Campos-SP

Hoje vamos contar sobre a nossa experiência no Lamen-YA em São José dos Campos-SP.

Com esse friozinho do inverno chegando, vem a vontade de comer pratos quentes. E o lamen é um dos nossos pratos favoritos.

Haviam poucas ou praticamente nenhuma opção de lamen em São José dos Campos há uns anos trás. Acabamos matando a vontade quando íamos em São Paulo, no famoso Jojo Ramen e nas diversas opções no bairro da liberdade.

Há alguns meses descobrimos o Lamen YA na praça do São Dimas, próximo à Igreja e resolvemos experimentar.

A casa tem um estilo bem tradicional das casas de lamen japonesas e o público é maioria japonês! rs Se eles lotam o lugar é porque deve ser bom e feito de modo tradicional.

Resolvemos experimentar. Eu fui de Shoyo Ramen (não tem como errar escolhendo esse) e o Leo pegou uma opção mais picante.

O Lamen YA é apertado e sempre lotado, mas isso não atrapalha a experiência. O lugar é dividido em dois pavimentos com várias meses grandes e alguns lugares no balcão.

No cardápio, além das opções de lamen, havia yakisoba, temaki e alguns outros pratos japoneses.

O lamen estava realmente muito bom, com o caldo bem saboroso. Não deve em nada para os lamens de lugares famosos que conhecemos em São Paulo.

Vá sem pressa, pode ter fila, mas garanto que pelo sabor vale a pena a vista.


LAMEN-YA

  • Endereço: Praça Monsenhor Ascânio Brandão, 14, 4 – Jardim Sao Dimas, São José dos Campos
  • Funcionamento: Segunda: fechado; De terça à domingo das 18h00 as 22h00
  • Telefone: (12) 3341-6348

Salve esse post no Pinterest:

Como Acompanhar a Cotação do Dólar Hoje

Foto por pixabay

Quem está planejando viajar para os Estados Unidos tem que estar por dentro da cotação do dólar americano. O dólar é uma das moedas mais fortes e sua cotação tem influência na economia global.

A melhor forma de acompanhar a cotação é com o Dólar Hoje. Com ele é possível conferir o dólar hoje comercial e turismo, converter valores de dólar para real e vice-versa e buscar as melhores casas de câmbio para comprar dólar na sua cidade.

Qual a diferença do dólar comercial e turismo?

O dólar comercial é usado para transações comerciais eletrônicas entre bancos e grandes empresas. Ele é usado para definir as taxas de câmbio de dólar para real no pagamento de importações e exportações de bens e serviços do Brasil com outros países.

O dólar turismo é utilizado para compra de dólar em espécie. Ele é o dólar que você compra nas casas de câmbio. Sua cotação é mais cara do que o comercial porque inclui-se custos e impostos.

Foto por pixabay

Quando devo comprar dólares para viajar?

É recomendado que acompanhe a cotação do dólar hoje e compre aos poucos. Dessa forma você terá um bom preço médio, evitando comprar tudo nas altas devido às notícias em destaque sobre o assunto.

Por onde mais posso acompanhar a cotação do dólar?

Você também pode acompanhar a cotação do dólar instalando a extensão do Chrome, curtindo a página do Facebok, seguindo no Twitter ou recebendo o boletim diário via email.


*Este artigo é publieditorial

Salve esse post no Pinterest: